Anibelli Neto denuncia “ganância” da Ecocataratas que quer aumentar em 30% o valor da tarifa de pedágio

anibell_pedagio

Em nome do MDB paranaense, que preside interinamente, o deputado Anibelli Neto protestou contra a pretensão da concessionária Ecocataratas de aumentar, em 30%, o preço da tarifa de pedágio a partir desta sexta-feira, dia 18 de dezembro.

Assim como se posicionou em outras oportunidades, como por exemplo o aumento pretendido pela Sanepar na tarifa de água, Anibelli Neto destacou que vivemos uma pandemia, que sacrifica a população inclusive financeiramente, e um aumento em qualquer patamar é inaceitável.

A Ecocataratas, que explora o pedágio na região Oeste do Estado, num trecho de 387 quilômetros da BR-277, entre Guarapuava e Foz do Iguaçu, justifica o aumento dizendo que já cumpriu o acordo de leniência com o Ministério Público Federal.

O que busca, segundo nota da própria concessionária, é retomar aos valores cobrados até outubro do ano passado quando, em função do acordo de leniência, reduziu o preço da tarifa em 30%.

Esse argumento não serve como desculpa para esfolar ainda mais o bolso dos paranaenses, afirma Anibelli Neto. Para ele, isso se chama “ganância” pura e simples.

O aumento pretendido pela Ecocataratas vale para as praças de pedágio em São Miguel do Iguaçu, Céu Azul, Cascavel, Laranjeiras do Sul e Candói. 

Dados do Instituto Brasil Transportes (IBT), revelam que a concessionária deve ter faturado R$ 7 bilhões em 20 anos em que explora o pedágio naquele trecho e, o que é pior, não cumpriu com todas as obras previstas no contrato.

O presidente do IBT, ex-deputado Acir Mezzadri, fala em “assalto ao bolso dos paranaenses. Temos que denunciar este assalto”, disse.

Anibelli Neto faz coro a Mezzadri e reafirma que “é inconcebível um aumento em 30% em plena pandemia”.