Guarapuava está sem prefeito há cinco dias, diz João Nieckars

joao-nieckars

O advogado João Nieckars (MDB) atentou nesta sexta-feira, 8, que a prefeitura de Guarapuava está sem comando há cinco dias. O prefeito Cezar Filho (PPS) e o vice prefeito Itacir Vezzaro (PDT) estão em viagem e não comunicaram a Câmara de Vereadores sobre a ausência do município.

As notícias que circulam em Guarapuava dão conta que o prefeito Cezar Filho está em viagem no estado de Mato do Grosso e que o vice-prefeito Itacir Vezzaro também está ausente da cidade. “Guarapuava está sem prefeito há cinco dias e ninguém sente falta”.

“Quando o prefeito viaja, comunica o vice, que assume. Quando o vice viaja, a Câmara deveria ser comunicada e o presidente assumiria, mas ninguém comunicou. Isso é abandono”, argumenta João Nieckars.

O emedebista cita a lei orgânica do município no seu artigo 61. “O prefeito não poderá ausentar-se do município, sem licença da Câmara Municipal, sob pena de perda do mandato, salvo pelo período inferior a 15 dias”.

João Nieckars chegou a fazer duas postagens no facebook sob o sumiço do prefeito e vice, as quais tiveram dezenas de comentários, curtidas e compartilhamentos. “Isso é a política nada democrática, o presidente da Câmara devia assumir nessas situações”, disse Geraldo Bastos em seu comentário.

Prevaricação – O jornalista Alcione Ribas, repórter da TV Humaitá, também atentou sobre a falta de comando no município e postou um vídeo na sua página no facebook. “Neste momento (18h de sexta-feira, 9), a Mesa Executiva da Câmara de Vereadores está reunida e pode dar posse ao presidente do legislativo, João Carlos Gonçalves, o “João do Napoleão”, como prefeito interino de Guarapuava”, adianta Ribas.

A reunião, como demonstra o vídeo, foi tensa e os vereadores apontaram que se o legislativo não tomar qualquer atitude poderia estar prevaricando. “Se for preciso convocar a Defesa Civil, quem que iria convocar? Por isso convocamos, para que amanhã ou depois não venhamos sofrer uma ação do Ministério Público ou do Judiciário por prevaricação”, disse João Napoleão.

Os vereadores também afirmaram da falta de respeito com a população de Guarapuava. “Fizemos a comunicação protocolar pedindo que o sucessor legal, o presidente assumisse, para que o Ministério Público não venha cobrar de nós uma ação. A Câmara é um poder independente, não é um puxadinho da prefeitura”, disse um vereador presente na reunião.