MUDANÇAS NA TARIFA MÍNIMA DA ÁGUA AFETARAM 1,3 MILHÃO DE FAMÍLIAS NO PR, DENUNCIA ANIBELLI

ani 21 02 2018

O deputado Anibelli Neto (MDB), líder da bancada de oposição na Assembleia Legislativa, afirmou nesta quarta-feira (21) que a mudança no critério de cobrança da tarifa mínima da água realizada no ano passado pela Sanepar, que reduziu o volume fornecido de dez para cinco metros cúbicos, fez com que mais de 1,306 milhão de famílias paranaenses perdessem o direito de serem enquadradas na modalidade. O número representa 46,57% das unidades residenciais atendidas pela Sanepar no Estado, com um total de 2,806 milhões de usuários.

“Quase metade de todas as unidades residenciais atendidas pela Sanepar perdeu o direito à tarifa mínima. Isso mostra que, em em vez de privilegiar a população, fornecendo água de qualidade e com tarifas justas, a Sanepar está sendo administrada para beneficiar o sócio privado, os acionistas”, destacou o parlamentar.

Os números foram revelados em resposta da Sanepar a um pedido de informações feito pela bancada de oposição na Assembleia Legislativa nesta semana.

Até junho de 2017, a tarifa mínima era de dez metros cúbicos de água por R$ 33,74. A partir da mudança, o mesmo volume passou a custar R$ 38, um aumento de 12,63%. Ao mesmo tempo, a nova tarifa mínima passou a ser de cinco metros cúbicos por R$ 32,90. Estes valores não consideram a tarifa de esgoto, que fica entre 80% e 85% do valor do consumo de água dependendo da cidade.