PARANÁ TEM 12% DAS CRIANÇAS QUE ESTÃO APTAS À ADOÇÃO NO PAÍS, DIZ NEREU MOURA

nereu propor218

O Brasil tem aproximadamente cinco mil crianças aptas à adoção. Deste total, 608 (12%) é paranaense, o que reforça a urgência na votação de projetos como o apresentado pelo deputado Nereu Moura, instituindo no Calendário Oficial de Eventos, a Semana de Incentivo à Adoção, a ser realizada no período em que compreende a data de 25 de maio, Dia Nacional da Adoção.

De acordo com o Cadastro Nacional de Adoção (CNA), no Paraná existem 3,7 mil pretendentes à adoção, o que representa 10% do total do Brasil. Os dados foram revelados à TV Assembleia pela promotora de Justiça, Fernanda Maria Campanha Motta Ribas. “A adoção transforma a vida de uma criança”, destaca Nereu Moura, que é líder da bancada do PMDB na Assembleia Legislativa.

O parlamentar afirma que sua proposta tem a intenção de conscientizar a sociedade de que toda criança ou adolescente tem direito a ser criado e educado no seio de sua família. “Excepcionalmente em família substituta, assegurada à convivência familiar saudável e afetuosa”, ressalta.

Nereu Moura busca estimular a adoção legal e humanizada, principalmente às adoções tardias, inter-raciais, de grupos de irmãos e de crianças com necessidades especiais. O adotante, segundo ele, precisa ter noção da grande responsabilidade que transforma a própria vida, com uma missão que será para sempre.

Precisa avançar

O instituto da adoção ainda hoje, mesmo após os recentes aperfeiçoamentos legislativos, está longe de atender as necessidades de crianças e jovens que precisam de família substituta. Estatísticas oficiais apontam que apenas 3% dos inscritos no cadastro de adotantes aceitam receber crianças maiores de três anos, destaca Nereu Moura.

“Esta situação precisa ser modificada, porque a chamada adoção tardia evita que muitas crianças sejam condenadas a passar toda infância e adolescência, privados do convívio de uma família”, disse. Mesmo que hoje já haja campanhas educativas para os pretendentes, o que se tem feito não tem dado resultado apreciável.

A maioria ainda quer um bebê e as crianças mais velhas continuam presas aos abrigos, justifica o deputado. A adoção é uma das formas mais eficazes para amenizar o drama da criança e do adolescente cujos pais tenham perdido o poder familiar ou desistido do seu exercício.

Contexto

De acordo com dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), em 2006, aproximadamente seis mil crianças foram adotadas no Brasil. Mesmo assim, 80 mil crianças ainda vivem em abrigos à espera de uma família. Dessas, apenas 10% estão disponíveis para adoção, 87% delas tem família e cerca de 4% são órgãos.

No Paraná, no ano de 2014, foram 35 adoções de crianças com idade entre 7 e 17 anos (18,72% do total). Em 2015, foram 54 adoções (22,69%), enquanto que em 2016, até o final de março, foram nove (22,5%).

A íntegra do projeto está no link:

 

http://portal.alep.pr.gov.br/index.php/pesquisa-legislativa/proposicao?idProposicao=63946