GOVERNADOR DO PARANÁ SÓ PENSA EM AUMENTAR IMPOSTOS!

nereu fina

O que existe no Paraná, hoje, é uma metodologia voltada unicamente para aumentar impostos e engordar o caixa do Governo do Estado. “É este modelo que justifica o ‘pacotão de impostos’ que foi posto em prática no ano passado”. A denúncia é do deputado Nereu Moura, líder da bancada do PMDB, ao participar da reunião técnica que discutiu o decreto 442/2015, de autoria do governador Beto Richa (PSDB), que antecipa a cobrança de ICMS sobre produtos importados.

 

Nereu Moura lembrou também que na última semana, durante a audiência de prestação de contas do primeiro quadrimestre do governo, o secretário da Fazenda, Mauro Ricardo, disse que é necessário aumentar ainda mais impostos para incrementar a arrecadação. “É uma gula, uma voracidade arrecadatória dentro de uma crise que vivemos, sem precedentes na história do país”, disparou.

 

Durante a reunião, convocada pela Comissão de Indústria, Comércio, Emprego e Renda, o presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo, lembrou que o governo Beto Richa apelidou o aumento de impostos de “ajuste fiscal”. De acordo com o líder do PMDB, a estratégia foi adotada para poder “tapear a revolta popular com o aumento de impostos”.

 

“O ajuste fiscal, que o governo tanto propagandeia, é o aumento de impostos. Aumento do IPVA, do ICMS, do ITCMD”, disparou Nereu Moura. Na opinião do parlamentar, no lugar de adotar esta tática, o Governo do Estado deveria reduzir despesas, eliminar secretarias e cargos.

 

O deputado lembrou ainda que praticamente toda semana chega à Assembleia Legislativa, projetos criando cargos de confiança, aumentando a despesa. “Enquanto isto aumenta os impostos para tirar de quem não tem mais dinheiro para pagar. Os comerciantes e empresários são repassadores, quem paga esta carga tributária horrível, na prática, é o povo paranaense”.

 

Contraofensiva

Durante a reunião foi lançado um abaixo-assinado para o governador Beto Richa revogar o decreto absurdo. O ato contou com participação do deputado federal João Arruda (PMDB), que foi relator no Congresso Nacional do projeto que ampliou o Simples Nacional.

 

“Este decreto estadual, afeta diretamente as pequenas empresas, que não suportam tamanha carga tributária”, afirmou o deputado. Também estiveram presentes no encontro representantes das federações empresariais e da OAB-PR, que entrou com uma ADI contra a medida do governo do Estado.