REQUIÃO FILHO FALA SOBRE DINHEIRO DO FIA E REVISTA DO GOVERNO RICHA

alep_22FEV
 Em discurso nesta segunda-feira (22) na Assembleia Legislativa, o deputado Requião Filho (PMDB), líder da oposição, cobrou que o governo estadual cumpra o acordo firmado com o Fundo para a Infância e Adolescência (FIA) e devolva aos cofres da instituição R$ 360 milhões que foram confiscados no ano passado.

Segundo o acordo, feito em novembro com o intermédio do Ministério Público, o governo depositaria imediatamente R$ 205 milhões e faria um cronograma para a restituição do restante, com correção inflacionária.

“O acordo não foi cumprido, o dinheiro não foi devolvido. O deputado Romanelli, líder do governo, até tenta, mas não convence. Não tem argumentos para explicar o que aconteceu com os recursos do FIA. Não adiantam berros, ofensas, discursos agressivos e vazios. Contra fatos não há argumentos”, afirmou Requião Filho.

Em outubro, o parlamentar protocolou no MP um pedido de providências sobre o confisco dos recursos do FIA que foram destinados ao Caixa Único do governo estadual. A medida fere o artigo 227 da Constituição Federal e foi duramente criticada pelo Fórum dos Direitos da Criança e do Adolescente (FDCA). Na última semana, a assessoria jurídica do deputado acrescentou ao pedido já feito ao MP a denúncia de que o acordo não estaria sendo cumprido e cobrou uma resposta. A informação é de que o documento já está nas mãos do governador para ser respondido.
—-

link de vídeo – https://www.youtube.com/watch?v=2aXXmCLDafE


Governo rejeita pedido de informações sobre gastos com revista de prestação de contas

A base governista na Assembleia Legislativa rejeitou, por 26 votos a 15, requerimento de pedido de informações da oposição sobre quanto o governo estadual gastou com a produção de uma revista de prestação de contas que começou a circular na semana passada, intitulada “Paraná – trabalho, respeito e cidadania”.

“O governo Richa insiste em falar em transparência e respeito com o dinheiro público, mas isso fica só no discurso, não se traduz na prática. Onde está a transparência quando a base governista rejeita um pedido de informações sobre quanto de dinheiro público foi gasto na revista de prestação de contas?” questionou o deputado Requião Filho, líder da oposição.

Além de pedir os gastos com a publicação, que tem 134 páginas, todas coloridas, e foi impressa em papel de alta qualidade, a oposição solicitou cópia da licitação e questionou os motivos da publicação não conter expediente com a tiragem (número de exemplares que foram impressos), gráfica responsável, jornalista responsável e critérios e métodos de distribuição.

“O Paraná precisa saber quanto custou essa generosa propaganda para alardear feitos que não aconteceram. O material sequer tem o jornalista responsável. Por que não assinaram a revista? Será que é porque sabem que estariam assinando uma mentira?”, criticou Nereu Moura (PMDB).

Segundo Requião Filho, a revista traz um Paraná que não existe. “O Paraná mostrado pelo governo Richa é um estado de mentira, que não passa de propaganda”. Nereu Moura apontou as incoerências dos números mostrados na publicação. “O governo diz que gastou R$ 9 bilhões em saúde. Para onde foi este dinheiro? Qual novo hospital o governo construiu?”.

Além de Requião Filho e Nereu Moura, assinaram o requerimento os deputados Anibelli Neto (PMDB), Tadeu Veneri, Professor Lemos e Péricles de Mello (PT), Gilberto Ribeiro (PSB) e Pastor Edson Praczyk (PRB).