AÇÃO POPULAR QUESTIONA PROPAGANDA DO GOVERNO RICHA SOBRE CONTRATAÇÃO DE POLICIAIS

opsiçãoX

A bancada sustenta que a propaganda viola os princípios da legalidade, moralidade e publicidade e pede que os gastos realizados com o anúncio sejam devolvidos ao erário. Em propaganda veiculada na televisão, rádio e internet, o governo informa que “10 mil novos policiais foram contratados” nos quatro primeiros anos da gestão Richa.

Entretanto, relatório da Secretaria de Segurança Pública sobre a movimentação de pessoal no quadriênio, divulgado pelo deputado Nereu Moura (PMDB) em sessão plenária da Assembleia Legislativa, mostra que o incremento real do efetivo no período foi de apenas 3.439 policiais. De acordo com o documento, foram contratados 5.145 policiais militares e 1.888 policiais civis no período. Ao mesmo tempo, deixaram as corporações 2.444 policiais militares e 1.150 policiais civis. Com isso, o incremento real do efetivo alcançou 2.701 homens e mulheres na Polícia Militar e 738 na Polícia Civil.

Requião FilhoO deputado Requião Filho (PMBD), vice-líder da oposição ressaltou que o governador Beto Richa não tem compromisso com a verdade. “Se o Procon pudesse tratar dessas coisas, poderíamos devolver o governador para a prateleira por propaganda enganosa”, ironizou.

São tantas mentiras que, às vezes, parece que o paranaense vive em um mundo de fantasia. Não vivemos de aparência, senhor governador. Pare de vender um Paraná que não existe! A realidade do cidadão que não se sente seguro nas ruas, ou daquele profissional que passou, mas não foi chamado no concurso, ou ainda aquele pai que não tem expectativa de escola pública para seus filhos no próximo ano, é bem diferente.”

Na ação popular, a bancada também pede que o governador e os secretários de Segurança Pública e Comunicação do Paraná, Wagner Mesquita e Paulino Viapiana, devolvam ao erário os gastos realizados com a publicidade em todos os meios e que o Ministério Público investigue o caso tendo em vista indícios de prática de improbidade administrativa.